Partições e sistema de arquivos Linux – Parte 2

Anteriormente abordei um pouco sobre como o Linux reconhece os disco rígidos e partições, agora falarei sobre as principais pastas de sistema do Linux, e como podemos dividi-las fazendo um particionamento ideal do sistema.

Como já dito, no Linux o diretório root, indicado pela barra /, é o início ou topo da cadeia hierárquica de diretórios no Linux. A partir deste ponto teremos diversos diretórios que dividirão arquivos importantes para o boot, arquivos binários, bibliotecas, logs, arquivos pessoais e por aí vai.

Aqui podemos observar tais diretórios, cada um deles vão conter os tipos de arquivos que citei acima, vamos entender o que cada um deles armazena:

/bin e /sbin Contém os arquivos binários do sistema.
/dev Aqui ficam os arquivos dos dispositivos, como já havia exemplificado anteriormente.
/etc Contém os arquivos de configurações de vários programas e informações utilizadas no boot.
/lib Contém as bibliotecas utilizadas pelo sistema.

Estas pastas devem fazer parte da partição contendo a raíz, pois contém arquivos utilizados na inicialização.

/boot Contém arquivos responsáveis pelo carregador de boot.
/home Armazena os arquivos pessoais do(s) usuário(s) do sistema.
/opt Armazena programas instalados no sistema - assim como /usr.
/tmp Utilizada para armazenar arquivos temporários
/var Armazena arquivos de log.
/usr Armazena programas, comandos do usuário, arquivos de documentação e códigos fonte.

Estas últimas pastas listadas a partir do boot podem ser colocadas em diferentes partições, uma vez que realizar este procedimento pode evitar o acontecimento de erros e também deixa o sistema mais estável e organizado.

Então vamos ao que interessa, darei detalhes de como executar este particionamento pela instalação do Ubuntu, mas obviamente este procedimento pode ser executado de diversas maneiras, incluindo aplicativos como fdisk, cfdisk e etc.

Devemos escolher o método de particionamento manual, pois nós definiremos as configurações a serem aplicadas.

Ao adicionarmos partições podemos escolher o ponto de montagem:

Certo, agora que já entendemos a estrutura de organização do Linux e como separar os pontos de montagem, vamos definir o tamanho das partições. Irei definir supondo que utilizasse um disco rígido de 40GB, mas evidentemente o tamanho destas partições vai depender especificamente das exigências e aplicações do usuário, o objetivo aqui é apenas dar uma breve noção de dimensionamento.

/boot = 150MB
/ = 500MB

A raíz do sistema e a /boot poderiam ter tamanhos menores, visto que iriam conter arquivos básicos de boot, também as deixaremos como partições primárias.

/usr = 5GB

O /usr deve conter um maior espaço, pois irá conter os programas utilizados pelo usuário. A partir desta partição, todas as outras serão partições lógicas:

/tmp = 700MB
/var = 2GB
/opt = 1GB
/home = 33GB

A partição /home será de longe a maior de todas, contendo todos os arquivos pessoais do usuário.

Por último faremos a partição contendo a swap, que corresponde a memória virtual do Linux, geralmente recomenda-se que utilizemos o dobro da memória RAM existente em nosso computador para definir a swap.

Então meu disco ficaria da seguinte forma:

A partir destes passos já da para ter uma boa noção de como trabalharmos as partições em nosso sistema, ressalvando apenas que estas opções ficam a cargo do usuário e dos seus objetivos perante sua máquina.

Anúncios
    • Paulo jprox000
    • 16 novembro, 2013

    PERFEITO!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: