Instalando drivers no Ubuntu

O Linux já reconhece e instala automaticamente seus drivers em seu sistema, certamente isto é uma grande comodidade ao usuário. Quando isto não acontece, muitas distribuições fornecem a opção de se fazer a busca do driver proprietário e deixa a nosso cargo instalá-lo ou não. Mas e quando esta opção falha? O que fazer? Embora dificilmente aconteça, há casos em que devemos procurá-lo e instalá-lo manualmente passo-a-passo. Para muitos isto se torna um bicho de sete cabeças, uma vez que a maioria não sabe nem por onde começar.

Primeiramente é preciso identificar o modelo de seu hardware, se você ainda não sabe, podemos listar os dispositivos do computador através do sistema, faremos isto utilizando o lspci, bastando apenas digitar este comando no terminal.

# lspci

Aqui está um exemplo de saída do comando:

root@andre-desktop:/home/andre# lspci
00:00.0 Host bridge: Intel Corporation 440FX - 82441FX PMC [Natoma] (rev 02)
00:01.0 ISA bridge: Intel Corporation 82371SB PIIX3 ISA [Natoma/Triton II]
00:01.1 IDE interface: Intel Corporation 82371AB/EB/MB PIIX4 IDE (rev 01)
00:02.0 VGA compatible controller: InnoTek Systemberatung GmbH VirtualBox Graphics Adapter
00:03.0 Ethernet controller: Advanced Micro Devices [AMD] 79c970 [PCnet32 LANCE] (rev 40)
00:04.0 System peripheral: InnoTek Systemberatung GmbH VirtualBox Guest Service
00:05.0 Multimedia audio controller: Intel Corporation 82801AA AC'97 Audio Controller (rev 01)
00:06.0 USB Controller: Apple Computer Inc. KeyLargo/Intrepid USB
00:07.0 Bridge: Intel Corporation 82371AB/EB/MB PIIX4 ACPI (rev 08)
00:0b.0 USB Controller: Intel Corporation 82801FB/FBM/FR/FW/FRW (ICH6 Family) USB2 EHCI Controller

Como podemos ver, na frente dos modelos dos dispositivos são indicados os tipos das interfaces.
Podemos utilizar também o lshw para obter uma busca mais detalhada e completa, caso o usuário busque mais informações sobre o dispositivo.

Certo, obtido o modelo do dispositivo, é hora de buscá-lo. Recomendo que primeiramente a busca seja feita no site oficial do fabricante, uma vez que o Linux cresce cada vez mais, mais empresas desenvolvem softwares voltados para esta plataforma.

Se sua busca não obtiver sucesso, fica uma dica de procura através do site www.linux-drivers.org que contém uma grande lista de informações sobre drivers, e que podem redirecioná-lo a um site adequado contendo o software desejado.

Uma vez baixado o driver, devemos instalá-los – serio?! -, mas antes, vamos atualizar o kernel do Linux e também instalar alguns pacotes destinados fazer compilações.

apt-get install build-essential linux-headers-`uname-r`

Agora sim vamos fazer a instalação.

O método de instalação vai depender diretamente do driver que você instalará. A maioria dos drivers destinados ao Linux vem em pacotes e arquivos binários, e é comum encontrá-los com formato *.run, *.bin, ou então em pacotes tarball (extensão .tar), os quais devem ser descompactados e compilados.
Caso o arquivo esteja em um pacote tarball devemos descompactá-lo, basta rodar o comando pelo terminal:

# tar zxvf nomedopacote.tar.gz

Caso os arquivos sejam código fonte, devemos compilá-los, recomendo a leitura de arquivos README, INSTALL e etc, que podem trazer informações importantes.
Para compilar os arquivos, devemos realizar os seguintes procedimentos – que devem ser feitos dentro da pasta que foi descompactada:

# ./configure
# make
# make install
Algumas instalações podem não requerer o uso do comando ./configure, o que vai ser possível se identificar lendo os arquivos de referência contido junto à instalação.

Caso o driver baixado esteja no formato *.run, *.bin e etc, a instalação é mais simplificada, devemos apenas executar o arquivo, para fazê-lo primeiramente temos que dar a ele permissão de execução:

# chmod +x nomedodriver.run

Após dar a permissão resta executá-lo.

# ./nomedodriver.run

Em caso de drivers de vídeo pode ser necessário que a interface gráfica não esteja sendo executada, obviamente devemos pará-la:

Entre no modo texto (ctrl+alt+f1) e digite:
# gdm stop
ou
# service gdm stop
ou
# /etc/init.d/gdm stop

Em alguns tipos de drivers também devemos carregar o módulo para que o dispositivo funcione:

# modprobe nomedodriver

Estes procedimentos ajudam na maioria dos casos, porém há exceções em que teremos um pouco mais de trabalho para configurar e ativar o nosso driver. Contudo existem diversas comunidades Linux muito boas pela internet, como o Viva o Linux, ubuntuforum-pt.org, Clube do Hardware, under-linux.org, Guia do Hardware e etc, com milhares de usuários Linux que podem dispor de um suporte mais específico.

Anúncios
    • cadeira123
    • 21 de abril de 2012

    onde fica o terminal

    • Leandro
    • 15 de março de 2016

    ctrl+alt+T

    • everton
    • 13 de março de 2017

    ctrl +alt+t

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: